Organograma de Uma Empresa: O Que é, Tipos e Modelos – Guia Completo!

O organograma de uma empresa é, basicamente, uma maneira de organizar e documentar a estrutura organizacional da companhia.

Essa organização é utilizada para estabelecer as hierarquias necessárias para a empresa funcionar da melhor maneira. Além disso, também traz muitos benefícios para a saúde empresarial.

Quer entender melhor o que é, para que serve e conhecer alguns modelos de organograma de uma empresa? Vem com a gente!

 

O Que é e Para Que Serve um Organograma de uma Empresa?

Além de estabelecer a estrutura dos cargos, o organograma de uma empresa – também conhecido como estrutura organizacional – é a documentação utilizada para mapear quais são os times necessários para que a companhia possa funcionar a todo vapor.

O organograma organizacional também é utilizado para compreender quem são os profissionais que devem compor cada equipe, suas competências e as funções necessárias para que a empresa possa crescer.

Quando bem elaborado, o organograma de uma empresa deve responder algumas questões chave:

  • Qual a estrutura de equipes necessária para que a companhia funcione?
  • Como deve funcionar cada equipe?
  • Quais competências cada colaborador deve ter dentro de sua função?
  • Qual estrutura deve compor o plano de cargos e salários?
  • Que responsabilidades e processos são desenvolvidos em cada time?

Desse modo, fica mais fácil compreender os objetivos e definir as metas de cada equipe.

Isso facilita tanto o dia a dia quanto o acompanhamento dos resultados, já que é mais fácil medir o desempenho quando se tem registrado quais as competências de cada área.

Como Estruturar o Organograma de uma Empresa?

Existem alguns requisitos básicos para a criação da estrutura organizacional: a hierarquia, a divisão horizontal do trabalho, as linhas de comunicação e as unidades de trabalho.

 

como organizar um organograma

 

Cada um desses itens possui um significado:

  • Hierarquia: Funciona de cima para baixo, da esquerda para a direita ou de dentro para fora. Diz respeito à divisão de cargos mais altos e mais baixos de uma equipe;
  • Divisão Horizontal: Cargos que ficam na mesma linha e tem o mesmo nível hierárquico;
  • Linhas de Comunicação: São as linhas que interligam os cargos e as funções estabelecidas no organograma de uma empresa. Indicam as hierarquias diretas entre departamentos e cargos;
  • Unidades de Trabalho: São as caixinhas que descrevem cada cargo e função representada na estrutura organizacional. Pode apresentar o nome do funcionário ou de uma equipe.

Tendo isso em vista, vamos conhecer agora os principais tipos de organograma de uma empresa para que você possa escolher qual o mais indicado para a sua companhia.

Modelos de Organograma Para se Inspirar

É possível observar que a estrutura organizacional é apresentada de maneira gráfica, intuitiva e prática através do organograma. Porém, existem diversos tipos, com objetivos específicos, que devem ser conhecidos antes de você começar a organizar a sua empresa.

Veja alguns exemplos:

Organograma Clássico/Vertical

Este é o modelo mais tradicional de se organizar a estrutura de uma empresa. Consiste em caixas de cargos distribuídas por grau de importância, do topo para a base.

O organograma vertical apresenta a hierarquia entre os cargos, os fluxos de comunicação entre eles e a estrutura de cada setor.

 

exemplo de organograma vertical

Vantagens:

  • Facilita a criação de um plano de cargos e carreiras;
  • Gera rápida compreensão do fluxo de trabalho;
  • Agiliza a gestão e o desenvolvimento de processos de capacitação.

Organograma Horizontal

Substituindo a ideia de hierarquia pelo conceito de colaboração, o organograma horizontal de uma empresa se diferencia do vertical porque estabelece funções estratégicas e de liderança.

Neste caso, é possível encontrar os cargos de gestão à esquerda, enquanto os operacionais ficam à direita.

 

exemplo de organograma horizontal

 

Vantagens:

  • Agilidade na gestão;
  • Maior autonomia para os colaboradores;
  • Ambiente informal e menos burocrático.

Organograma Circular/Radial

O organograma circular ou radial de uma empresa diz respeito ao trabalho em equipe, ou seja, à unicidade dos times dentro da companhia.

Nele, os responsáveis são apresentados mais ao centro da imagem e, os demais colaboradores, ao redor. Desse modo, cada cargo ou função deve ser apresentado em cores diferentes, para facilitar a visualização.

 

Exemplo organograma Radial

Vantagens:

  • O uso das cores auxilia na visualização e na compreensão imediata;
  • É a melhor maneira de identificar a proximidade entre as áreas;
  • Destaca a capacidade decisória do CEO ou diretor geral, que fica no centro da imagem.

Organograma Linear de Responsabilidade (OLR)

Este modelo consiste em uma representação gráfica das atividades de cada setor,  bem como qual o profissional responsável por cada uma delas.

O organograma linear tem uma função diferente dos demais: serve para demonstrar as relações entre determinadas atividades e organizar as tarefas de cada colaborador.

 

exemplo organograma linear

Vantagens:

  • Funciona muito bem para o gerenciamento de projetos específicos;
  • O uso de ícones agiliza a comunicação;
  • Identifica as interações entre equipes e atividades com maior facilidade.

Organograma Matricial

Em uma empresa, o organograma matricial é bastante utilizado para ilustrar estruturas temporárias, com equipes formadas para projetos específicos – possivelmente que misturam diferentes sedes e departamentos.

 

exemplo organograma matricial

Vantagens:

  • Ligação entre os departamentos;
  • Auxilia no controle de resultados do projeto;
  • Todos os colaboradores podem participar.

Como Engajar os Colaboradores no Organograma da Sua Empresa?

Além de ser imprescindível para o bom funcionamento da companhia, é importante que os funcionários compreendam o organograma da empresa no dia a dia. Isso porque ter colaboradores engajados com o seu organograma facilita na gestão dos times, que compreendem mais facilmente o seu papel dentro do ‘todo’.

Além disso, conhecer o organograma e o plano de cargos e salários faz com que os funcionários tenham maior perspectiva de crescimento, o que é ótimo para a retenção de talentos e diminuição do turnover.

Por isso, separamos algumas dicas de como manter os seus colaboradores engajados e cientes da estrutura da organização:

1. Apresente o Organograma da Empresa no Onboarding

O onboarding dos colaboradores é o primeiro contato do funcionário com a empresa.

Por isso, que tal aproveitar este momento para apresentar não apenas o plano de cargos e salários, mas também o organograma e a estrutura da companhia?

2. Sinalize Atualizações e Mudanças

Como você já sabe, a comunicação entre gestores e colaboradores faz toda a diferença no sucesso do seu time. Com relação ao organograma, é possível que a empresa passe por modificações de estrutura e expansão de setores ao longo do tempo.

Por isso, sempre que o organograma for alterado, é de suma importância que os times conheçam as novidades. Para isso, que tal organizar uma apresentação para cada setor, apontando a visão geral e as alterações específicas que irão afetá-lo?

3. Disponibilize a Documentação para os Colaboradores

Para que todos os funcionários compreendam como a companhia funciona, uma ótima opção é disponibilizar um documento onde constem o plano de cargos e salários e o organograma da empresa.

Com livre acesso a essas informações, o colaborador tem maior autonomia para conhecer os times próximos ao seu, bem como para interagir com os colaboradores certos sempre que precisar.

Como o Organograma da Empresa pode Facilitar o Seu Controle de Ponto?

Ao estabelecer as relações entre cargos, os coordenadores e os gestores de cada time conseguem auxiliar no processo de descentralização da gestão de jornada dos colaboradores.

Em sistemas modernos de controle de ponto online, por exemplo, é possível nomear esses cargos como responsáveis pelo controle de ponto dos funcionários.

Além disso, em sistemas como o da Pontomais o colaborador também tem acesso aos seus pontos marcados, às horas extras e ao banco de horas – o que confere maior autonomia e praticidade na gestão da jornada.

Desse modo, o setor de RH ganha mais tempo para cuidar do que realmente importa: as pessoas.

Imagem padrão
Silvana Fernandes

Gerente de RH na Pontomais