Acompanhar os principais indicadores de desempenho para RH é um grande passo, pois, assim, a gestão de pessoas se torna mais estratégica e focada em resultados com base em dados reais.

Fato é que toda a empresa ganha. Afinal, com boas métricas de desempenho é possível tomar decisões de forma mais rápida e acertada. Elaboramos este artigo para lhe mostrar quais são os principais indicadores de desempenho que devem ser avaliados e quais são as formas de alcançar os resultados esperados. Continue a leitura e confira!

 

O que realmente indica desempenho em RH?

 

1. Retorno Sobre Investimentos

 

Diariamente, o RH faz muitos investimentos, desde treinamentos até a formulação de uma marca empregadora robusta. Porém, essas aplicações realmente trazem algum retorno?

O objetivo do ROI é avaliar o retorno financeiro obtido com os investimentos da empresa, seja na área de gestão de pessoas ou qualquer outra. O seu cálculo é bastante simples.

ROI = (retorno obtido – investimento feito) / retorno obtido

Imagine que investiu R$10 mil em um treinamento e teve um retorno bruto de R$60 mil reais. Nesse caso, o ROI é de 5 vezes o valor investido (ou 500%, como preferir). Com base no ROI é possível saber o que realmente tem dado resultado para o RH. Assim, você poderá eliminar ou reforçar os projetos desejados.

 

 

2. Employee Net Promoter Score (eNPS)

 

Funcionários satisfeitos são mais felizes, motivados e comprometidos com os resultados. Além disso, atuam como embaixadores da marca, promovendo-a para seus amigos e familiares.

O objetivo desse indicador é mensurar o nível de satisfação e lealdade dos próprios funcionários, algo realmente importante para qualquer profissional de RH. Para isso, você deve aplicar uma única pergunta-chave aos seus colaboradores:

Em uma escala de 0 a 10, qual a possibilidade de você recomendar esta empresa como um bom lugar de se trabalhar?

Depois de obter o máximo de feedbacks, você poderá classificar seus funcionários como promotores, neutros ou detratores da marca. Basta seguir essa tabela:

  • respostas de 0 a 6: funcionários detratores, que não indicariam a empresa.
  • respostas de 7 a 8: funcionários neutros, indiferentes à empresa.
  • respostas de 9 a 10: funcionários promotores, embaixadores da marca.

3. Índice de absenteísmo (Bradford Factor)

 

O Bradford Factor é uma forma de medir o absenteísmo nas empresas. Para esse indicador, as faltas curtas, constantes e não planejadas têm mais peso do que as ausências longas.

Para calculá-lo, você deve levar em consideração o número total de casos de ausência (C) e o número total de faltas (F). Veja como a fórmula pode ser montada:

Bradford = C X C X F

Imagine que um funcionário teve cinco casos de ausência, cada um de dois dias (5 x 5 x 10) = 250 pontos. Ou que teve um caso de ausência, de dez dias (1 x 1 x 10) = 10 pontos. Uma pontuação acima de 250 pontos é considerada elevada, e pode ser motivo de advertência por escrito. Mas como mitigar o absenteísmo em sua empresa?

Além de investir em um sistema eficaz para o controle das faltas, é importante criar um bom clima organizacional, melhorar a comunicação interna e a sinergia da equipe.

 

4. Rotatividade de funcionários (Turnover)

 

A taxa de Turnover é um dos indicadores de desempenho para RH mais relevantes. Quando ele é alto, significa que a empesa está perdendo dinheiro, tempo e talentos. Seu cálculo leva em consideração apenas dois fatores: o número de desligamentos em determinado período e o número médio de funcionários. Veja:

Turnover = Número total de desligamentos / número médio de funcionários x 100

O Turnover ideal vai variar de acordo com o segmento de cada empresa, mas, em geral, é aconselhável que fique em torno de 5%. O cálculo deve ser feito com base em um período de 12 meses. Esses são os principais indicadores. Com eles é possível ter dados estratégicos para subsidiar as decisões do RH.

 

Saiba como conquistar os resultados esperados

 

Estabelecer os indicadores de desempenho é fundamental, mas ainda mais importante é sabermos como conquistar os resultados esperados. Afinal, de nada adianta definirmos uma meta de eNPS, por exemplo, se não pensarmos em quais serão os planos de ação que serão desenvolvidos para que os colaboradores façam uma boa avaliação da organização.

Confira algumas dicas importantes para conseguir cumprir todas as metas da sua organização:

 

Defina funções com clareza

 

Em primeiro lugar, é fundamental estabelecer uma coesão entre as diferentes equipes. Para que isso seja possível, é preciso definir funções para cada uma delas, bem como tarefas a serem executadas para cada colaborador. Assim, dividimos a carga de trabalho e otimizamos a nossa “linha de produção”, o que diminui a sobrecarga.

Não basta apenas fazer a definição dos indicadores; é preciso que os colaboradores estejam preparados para conquistá-los.

 

Automatize o controle do ponto

 

Questões burocráticas são sempre um verdadeiro obstáculo para a produtividade e, consequentemente, para a conquista das metas da organização. É justamente por isso que devemos automatizar todos os processos internos possíveis. Um deles, que, por sinal, é indispensável para a monitoração do desempenho dos colaboradores, é o controle do ponto.

Hoje, temos sistemas especializados em acompanhar esse tipo de tarefa e, com isso, é possível administrar com clareza cada um dos colaboradores ao saber quais deles devem horas para a organização e, com isso, poder manejá-los de acordo com as necessidades internas.

Dê feedbacks

 

Pode ter certeza de que um bom feedback pode trazer resultados significativos para a sua organização. É nesse momento que podemos alinhar os colaboradores e criar uma coesão no time.

Aqueles que apresentam dificuldades para cumprir com as expectativas da organização, por exemplo, podem receber orientações para melhorarem o desempenho. Por outro lado, os profissionais que apresentam bons resultados devem ser encorajados a permanecer no caminho certo.

 

Conte com a tecnologia

 

Não é apenas o controle do ponto que pode ser aprimorado com a tecnologia e a automatização. O fato é que o próprio acompanhamento dos indicadores de desempenho também pode ser realizado com a ajuda da tecnologia. Um bom ERP, por exemplo, pode lhe ajudar a monitorar todos os indicadores em tempo real.

A ferramenta, que tem como objetivo automatizar os processos do negócio, também fornece dados relevantes acerca da organização, como informações referentes aos indicadores. É, sem dúvida, indispensável para desenvolver melhor qualquer tipo de atividade.

 

Crie canais efetivos de interação

 

Para concluir, é muito importante que a linha de comando seja estabelecida de maneira clara na organização. Nesse sentido, dois passos são indispensáveis: o primeiro deles é referente ao uso da tecnologia. Comunicadores internos precisam ser implementados, além do ERP e do sistema de controle de ponto, que permite uma integração das informações da empresa.

Além disso, os próprios gestores e gerentes também devem se mostrar disponíveis para a comunicação. Em outra palavra, além do aspecto tecnológico, também devemos considerar o aspecto humano e cultural da integração.

Gostou do nosso post de hoje? Ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Fique à vontade para deixar o seu comentário!