Atualmente, saber delegar tarefas tornou-se uma habilidade cada vez mais necessária no perfil do gestor. Sabe-se que o modelo centralizador de gestão não mais condiz com as demandas modernas de trabalho. Por isso, nesse novo mundo corporativo, a autonomia dos funcionários deverá ser cada vez mais fomentada. No sentido da construção de lideranças sólidas nas equipes.

Essa mudança de paradigmas ocasiona um cenário em que se tem tanto gestores mais satisfeitos e confiantes em sua equipe quanto funcionários mais engajados e motivados para o trabalho.

Neste post, daremos 4 dicas valiosas de como incentivar a autonomia dos colaboradores. Para que se possa delegar tarefas e demandas com tranquilidade. Vamos aos itens:

 

1. Ter bastante zelo pelo processo de contratação

 

O primeiro passo para obter essa autonomia na sua força de trabalho e delegar tarefas com tranquilidade é o processo de contratação. Por meio dele, o gestor eficiente precisa obter as cartas certas na manga, ou seja, dispor de uma equipe qualificada para desempenhar com autonomia as tarefas necessárias.

Para isso, é importante se zelar pela eficiência nesse processo, não medindo esforços para conseguir bons resultados, isso é: a contratação de profissionais éticos, competentes e empenhados.

 

2. Deixar claros as metas e os objetivos da empresa

 

É preciso deixar claro para os funcionários quais são as regras do jogo, ou seja, de que maneira a definição de prazos na rotina de trabalho funciona. Da mesma forma, é importante que se exponha as prioridades e os objetivos para cada projeto, sendo todos os detalhes desse direcionamento explicitados de forma concreta e objetiva.

Assim, os colaboradores terão as coordenadas precisas para atingir o alvo, formando uma equipe alinhada e eficiente.

3. Investir em autonomia na capacitação dos funcionários

 

A construção de lideranças na sua equipe passa pela capacitação eficiente dos funcionários com vistas a construir autonomia e iniciativa neles.

Para, efetivamente, poder delegar tarefas confiando nos resultados. É preciso investir em uma capacitação que tenha por objetivo incitar a tomada de decisões. Assim, quando os colaboradores manifestarem dúvidas e pedirem ajuda sobre algum aspecto do trabalho que estejam desempenhando, você também verá uma excelente oportunidade de capacitá-los. O processo é contínuo.

Por meio dessa capacitação contínua, os resultados aparecem em tomadas de decisões mais autônomas dos funcionários. Como, por exemplo, em questões corriqueiras, como a concessão de um desconto a um cliente insatisfeito.

4. Mapear competências e definir líderes

 

É imprescindível conhecer bem sua equipe para identificar potenciais lideranças, pois, sabendo quais recursos você tem disponíveis no seu quadro de funcionários, torna-se possível utilizar a ferramenta apropriada para cada demanda de trabalho.

Para isso, o gestor precisará elencar de forma detalhada e completa as competências e habilidades de seus funcionários. Isso será muito útil na hora de definir as funções e delegar as tarefas aos colaboradores que tenham, efetivamente, o perfil adequado para desempenhá-las.

Por meio desse procedimento, é possível delimitar líderes especificamente para uma área de atuação profissional. É importante deixar claro para ele suas atribuições e os limites de sua atuação. Um exemplo muito prático disso seria um gerente de vendas, cuja responsabilidade recaia sobre o controle dos descontos concedidos a clientes, monitorando e regulando esses detalhes sem a necessidade de que se consulte as chefias imediatas a todo momento.

Então, essas dicas de como fomentar a autonomia em sua equipe foram úteis? Esperamos que sim. Para saber mais, siga-nos nas redes sociais ― Facebook e LinkedIn!