Você já ouviu falar em gamificação? A palavra soa um pouco estranha aos ouvidos, mas é um conceito que vem revolucionando a gestão de recursos humanos na empresa.

Esse formato vem do universo dos games e é um processo que traz elementos dos jogos eletrônicos para dentro de diversas ações, em geral educacionais e corporativas, com foco especial em tarefas rotineiras e nos processos de avaliação de colaboradores.

A gamificação também vem sendo usada pela área de Recrutamento e Seleção e até mesmo pela área comercial, para o estabelecimento de metas. Acompanhe o post e entenda sobre como aplicar isso à sua organização.

 

 

A gamificação no ambiente interno das organizações

 

Você pode estar se perguntando: como misturar videogame e trabalho? Esta é uma questão chave para que o processo de gamificação funcione da melhor maneira possível.

Gamificar não significa transformar a empresa em um grande videogame, mas sim trazer elementos lúdicos para ações específicas. Portanto, estamos falando sobre aumentar os desafios para os colaboradores, mas fazendo com que as tarefas se tornem mais prazerosas e motivadoras.

Ao adotar a gamificação, o gestor traz para a empresa elementos como medalhas, quadros de pontuação, rankings, etc.

Um detalhe importante que deve ser observado antes da implantação: é preciso mapear o público, conhecer seus costumes e preferências para que a gamificação não gere o efeito contrário e acabe afastando as pessoas de seus objetivos.

 

A gestão de recursos humanos se beneficiando dos games

 

O profissional atual precisa de reconhecimento imediato, desafios dinâmicos, protagonismo e autonomia de gestão. A velha forma de trabalhar, com um chefe coordenando as atividades enquanto a equipe apenas executa, não funciona mais.

Nesse sentido, a gamificação é extremamente benéfica para a gestão de recursos humanos, na medida em que potencializa desafios e favorece o reconhecimento dos melhores profissionais da empresa.

Um bom processo de gamificação deve colocar nas mãos dos colaboradores as ferramentas necessárias para que ele trabalhe na elaboração de projetos, no desenvolvimento e na avaliação de todos os participantes.

Também é importante observar que, atualmente, o que deixa os profissionais felizes é o reconhecimento, mais até do que os ganhos financeiros. Muitas vezes, receber um troféu simbólico e ter seu nome divulgado junto às suas realizações vale mais do que um bônus pago em dinheiro.

Obviamente, uma coisa não substitui a outra, mas já foi o tempo em que depositar recursos na conta dos melhores colaboradores bastava para mantê-los motivados.

 

O que querem os profissionais do futuro

 

No futuro, os profissionais buscarão gerir o seu próprio plano de carreira. A gamificação será capaz de colocar à disposição deles todas as oportunidades disponibilizadas pela companhia, para que o próprio colaborador trace o seu caminho e atinja seus objetivos.

As empresas que querem sair na frente neste processo devem começar a pesquisar imediatamente sobre a gamificação. Uma pesquisa da Gartner, realizada em 2015, revelou que, naquela ocasião, 40% das empresas já investia em algum processo de gamificação. Este número certamente já cresceu de lá para cá.

Viu só como você não pode deixar sua empresa de fora da gamificação na gestão de recursos humanos? Comece já a mapear os seus colaboradores para adotar as melhores soluções! E depois deixe o seu comentário no post, contando a experiência!